Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Aplicativo infectou 60 mil celulares no Estado

Notícias

Ciência e Tecnologia

Aplicativo infectou 60 mil celulares no Estado


 (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Cerca de 60 mil celulares no Espírito Santo foram infectados por um aplicativo chinês chamado VidMate, segundo especialistas. Em todo o País, foram mais de 1 milhão de smartphones Android contaminados, conforme alerta do laboratório de segurança britânico Upstream.

O software, para Android e disponível para download em sites na rede, como CnetouUptodown (mas não na GooglePlay Store), é usado para baixar vídeos e músicas de sites como YouTube, Vimeo e Dailymotion, mas, ao ser instalado no celular, ativa malwares que coletam dados pessoais e criam anúncios invisíveis aos usuários. Sem a pessoa saber, o smartphone passa a clicar nesses banners ocultos, comprando serviços digitais, levando a prejuízos no fim do mês.

“Os malwares usam a conta da operadora para cobrar pelos serviços 'clicados', mesmo quando o celular não está em uso”, explicou, por e-mail, à Agência Globo, o diretor-executivo da Upstream, Guy Krief. Assim, o usuário é cobrado pela navegação a mais em Vivo, Tim, Claro ou Oi.

Segundo Krief, os sinais de que o aplicativo está operando são fáceis de perceber. “A bateria se descarrega rapidamente, o telefone está sempre quente, o uso do pacotede dados aumenta sem explicação e aparecem cobranças por serviços digitais premium não acessados.”

A plataforma de segurança da Upstream, a Secure D, detectou e bloqueou 21 milhões de transações suspeitas oriundas de 1 milhão de smarpthones brasileiros infectados, cujos usuários poderiam ter se inscrito em serviços digitais sem saber e perdido US$ 28 milhões (R$ 113,4 milhões) em cobranças indevidas. Em média, cada usuário perderia US$ 100 (R$ 404) por ano (com 3GB de dados extras ao mês) com a infecção.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados