Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Americanos colocam projeto de porto no Estado à venda por R$ 100 milhões
Economia ES
Rafael Guzzo

Rafael Guzzo


Americanos colocam projeto de porto no Estado à venda por R$ 100 milhões

A projeção do Porto de Gamboa (Imagem: Edison Choest)
A projeção do Porto de Gamboa (Imagem: Edison Choest)

O grupo americano Edison Chouest formalizou o interesse de vender o projeto do Porto de Gamboa, planejado para Itapemirim. O preço é de R$ 100 milhões, segundo o deputado estadual Theodorico Ferraço, que participa das negociações para atrair o empreendimento desde a década passada.

O grande diferencial do projeto é o fato de já contar com Licença de Instalação (LI), autorização ambiental considerada o maior desafio para a construção de um porto - maior até que levantar dinheiro para a execução.

O negócio ficou no papel por conta de desentendimentos entre a empresa e o poder público e, ainda, pela influência de Brasília na gestão petista, que levou a empresa a investir no Porto de Açu, no Norte do Rio de Janeiro.

A multinacional investiu cerca de R$ 85 milhões na proposta, incluindo a compra de terrenos — numa área que supera 1 milhão de metros quadrados — e a execução dos projetos.

Ferraço disse que há investidores internacionais interessados (Foto: Reinaldo Carvalho)
Ferraço disse que há investidores internacionais interessados (Foto: Reinaldo Carvalho)
Ferraço disse que grupos internacionais demonstraram interesse em tocar o negócio, entre eles chinês, português, holandês e cingapurenho. Contudo, o momento é de aguardar a definitiva aprovação — ou não — da reforma da Previdência no Congresso.

Retomado, o empreendimento promete movimentar a economia do Estado e criar empregos, em um momento de estagnação. Pode, ainda, ser utilizado para a movimentação de contêineres, resolvendo um gargalo logístico que ameaça tirar várias empresas de comércio exterior do território capixaba no futuro.

Além da LI, outra vantagem é que Itapemirim fica perto de Anchieta, destino da ferrovia a ser construída pela Vale a partir da Grande Vitória.
 


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados