Fabiana Tostes

Fabiana Tostes


Alívio de um lado, tensão de outro

Após conseguir emplacar na 1ª e 2ª secretarias da Assembleia os aliados de 1ª hora, deputados Luciano Machado e Emílio Mameri, o governo se cercou também nas duas principais comissões permanentes da Casa: Justiça e Finanças.

Euclério ficou com a Comissão de Finanças, tendo como vice-presidente Enivaldo dos Anjos, que é também o líder do governo na Ales. Na Comissão de Justiça ficou Fabrício Gandini, tendo como vice-presidente Vandinho Leite. Não há dúvidas de que os quatro formam um muro de proteção ao governo nas duas comissões por onde passam a maioria dos projetos, incluindo as contas do governador e a peça orçamentária.

Preocupação pode ocorrer, porém, na Comissão de Educação, com a presidência do deputado Vandinho Leite. Isso porque ele já protocolou dois projetos polêmicos: “Escola sem doutrinação” e “Proibição de ideologia de gênero no âmbito do sistema estadual de ensino”, que podem gerar desgastes ao governo. Os projetos devem ser lidos na sessão de hoje.

O governo vai apoiar?

Quando foi nomeado, ainda no ano passado, o secretário estadual de Educação Vitor de Ângelo, sinalizou ser contrário ao projeto “Escola sem Partido” ou “Escola sem doutrinação”, que é uma bandeira, principalmente, de partidos de direita e de grupos evangélicos – onde o deputado Vandinho Leite tem reduto eleitoral. Projeto parecido já foi rejeitado.

Filha abrigada

A cantora Magna Karla Santos Malta, filha do ex-senador Magno Malta, foi nomeada para atuar no gabinete do deputado Lorenzo Pazolini (PRP). A nomeação foi publicada no Diário do Legislativo de ontem.

Karla vai atuar como técnica júnior de gabinete, que tem salário previsto de R$ 4.283,63. Pazolini e o ex-senador fizeram campanha juntos.

Ô desencanto!

Botafoguense, o governador Renato Casagrande viu o ex-ídolo do alvinegro carioca, Loco Abreu, que está no Rio Branco, tocar pouco na bola no último sábado em jogo no Kleber Andrade. Deu apenas um chute a gol na partida inteira. Casagrande foi embora na metade do segundo tempo.

Majeski não ficou nada satisfeito

O deputado Sergio Majeski (PSB), que almejava a presidência da Comissão de Educação, votou contra a chapa que elegeu Vandinho Leite e Lorenzo Pazolini para o comando. A Comissão foi modificada.

“Na 1ª configuração, eu garanti os votos para ser presidente. Depois de muitos telefonemas de Vandinho, Erick e Marcelo, mudou a maior parte dos membros”, disse Majeski.

Diário sangrento: Diretores são exonerados

O Diário Legislativo da Assembleia de ontem foi apelidado, entre os servidores, de “Diário Sangrento”. Isso porque trouxe exonerações de diretores – alguns há muitos anos na Casa. Os diretores Claudio Victor (Segurança), Jonston Antônio Caldeira (Tecnologia da Informação), Denilson José de Oliveira (Documentação e Informação), Marcelo Siano (Comissões), André Giori (Controle Interno) foram exonerados. Alguns já foram substituídos.

Galeria

De volta
O ex-secretário de Estado Roberto Carneiro voltou para o posto de diretor-geral da Assembleia – ele estava chefiando o gabinete do presidente Erick Musso. Carneiro foi convidado para atuar no gabinete do federal Amaro Neto, mas preferiu a Ales.

Vai entender...
A Rede é oposição, mas seus senadores ajudaram a eleger o candidato de Ônyx Lorenzoni, ou seja, do governo, à presidência do Senado.

Votação no senado
O aparecimento de 82 votos numa urna com 81 eleitores, lança por terra a defesa de que em votação com cédulas não há fraude.

Aprendem rápido
Alguns deputados novatos usaram a tribuna da Assembleia para agradecer a eleição. E no 1º discurso, já usam o pronome pessoal no plural.