Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Alimentos perigosos para as crianças
AT em Família

Alimentos perigosos para as crianças

Jéssika Luz diz que Ághata nunca tomou refrigerante e que evita dar sucos para que ela não deixe de ter o gosto pela ingestão de frutas frescas
Jéssika Luz diz que Ághata nunca tomou refrigerante e que evita dar sucos para que ela não deixe de ter o gosto pela ingestão de frutas frescas
Por Luciana Pimentel

A alimentação das crianças é fundamental para o crescimento saudável e os pais se veem diante do dilema diário de autorizar ou não o consumo de biscoitos, balas e refrigerante.

Pediatra, neonatologista e especialista em Nutrição Materno-Infantil, Francine Fiorot Prando de Vasconcelos destacou que a introdução alimentar deve ser supervisionada de perto. “Redobre a atenção quando oferecer alimentos que possuem caroços pequenos, como laranja e uva”.

A médica ressaltou que alimentos industrializados, ricos em sal, corantes e açúcar estão diretamente relacionados à obesidade, pressão alta e diabetes. “O consumo desses alimentos pelas crianças de forma desenfreada está relacionada à diminuição da expectativa de vida delas”, frisou.

Para a pediatra, uma dica valiosa é que a criança não consuma nenhum tipo de açúcar, corante, conservante e mel, biscoitos em geral e alimentos industrializados como chocolate, picolé e pirulito até os 2 anos de idade.

A nutricionista Marina Uvo destacou que é preciso redobrar a atenção ao oferecer aos pequenos alimentos duros e crus, como algumas frutas e vegetais, ou que contenham sementes e caroços, como ameixa e azeitona, já que podem provocar engasgos.

“Ovo e carne de frango mal cozidos podem provocar toxinfecção alimentar por salmonela. Balas, doces e chicletes têm quantidades generosas de açúcar e gordura, então o consumo frequente pode resultar num futuro quadro de obesidade e provocar cáries”, salientou.

Amendoim, avelã, noz e outras castanhas podem ser aspirados e provocar engasgos. Fígado? Só bem passado. Já peixes com espinhas devem ser evitados.

“A ideia aqui não é gerar mais um terrorismo nutricional, mas conscientizar sobre os cuidados necessários com a alimentação das crianças”, frisou Mariana.

A promotora de Justiça Jéssika da Lima Luz é mãe da Ághata, de 1 ano e 8 meses, e monitora tudo que a filha consome. Ela conta que a pequena nunca tomou refrigerante e que evita dar sucos para que ela não deixe de ter o gosto pela ingestão de frutas frescas.

“Ela não come balas e guloseimas e provou chocolate apenas uma vez. A Ághata adora manga, melão e uva e também gosta de queijo branco e batata-doce. Nada de chips ou biscoitos recheados ou industrializados”, ressaltou a mãe.

 (Foto: Acervo pessoal)
(Foto: Acervo pessoal)


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados