Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Adele brasileira chega a Vitória neste sábado

Entretenimento

Entretenimento

Adele brasileira chega a Vitória neste sábado


A voz é o principal, claro. E a semelhança com o timbre de uma das maiores cantoras da atualidade causa arrepios, impressiona, emociona. Mas há mais, muito mais, em “Hello Adele Tribute”, que será apresentado sábado (15) em Vitória.

Na homenagem à britânica de 31 anos, que deu uma pausa em sua carreira em 2017 (e ainda não fala em voltar), a versão brasileira de Adele: a cantora franco-brasileira Stephanie Lii, de 33 anos.

Stephanie Lii em cena: a cantora usa até o mesmo perfume de Adele no show de tributo à britânica de 31 anos (Foto: Edu Defferrari/Divulgação)
Stephanie Lii em cena: a cantora usa até o mesmo perfume de Adele no show de tributo à britânica de 31 anos (Foto: Edu Defferrari/Divulgação)

“Uso mechas de cabelo natural que custam mais de R$ 5 mil, unhas de vidro – as mesmas que Adele usa – e o mesmo perfume dela (Hypnotic Poison)”, enumera ela, que mergulhou na vida da vencedora de 15 prêmios Grammy, lendo biografias, vendo entrevistas e até indo a Londres.

Na noite em Vitória, Stephanie cantará sucessos como “Hello”, “Someone Like You”, “Rolling in the Deep” e “Set Fire to the Rain”.

O cenário do espetáculo reproduz a ambientação do DVD “Live at the Royal Albert Hall” (2011). “O microfone e o pedestal utilizados são idênticos aos originais. Do lenço de papel ao piano utilizado no palco, todos os detalhes foram reproduzidos”, explicou o diretor artístico Juliano Carvalho.

“Eu me senti muito próxima do ser humano”, diz Stephanie Lii

Como vai ser a noite em Vitória? O que o público pode esperar desse tributo à cantora Adele?

Eu gosto de pensar que, naqueles 80 minutos de espetáculo, as pessoas podem sair da sua atmosfera do dia a dia e ter a sensação de voltar no tempo, para dentro do Royal Albert (DVD da cantora Adele gravado em Londres em 2011), fechar os olhos e lembrar o significado, na sua vida, de cada música que executamos.

O show foi feito pensando o tempo todo no público, na importância de cada momento, em uma forma de respeito à história que a Adele construiu na música mundial. Estou muito ansiosa para chegar logo esse dia de encontrar com o público de Vitória

Quando descobriu que nasceu para cantar?

Eu comecei cantando nos jantares de família, imitava cantoras do Brasil, subia na mesa e cantava o hino da França para a família da minha mãe. Uma coisa foi levando a outra. Até que minha vó, Dona Maria, resolveu me colocar em um coral aos 9 anos. Não parei mais.

Como foi o convite para estrelar o “Hello Adele Tribute”? Rolou nervosismo?

Foi um susto, para ser sincera, não esperava receber um convite assim. Rolou um medo, para que eu conseguisse passar para as pessoas a admiração e honra que sinto em poder cantar músicas da Adele, que é um ícone da música internacional, mas resolvi relaxar e esperar que as pessoas conseguissem sentir isso através do coração.

Como foi a preparação?

Quando assumi essa responsabilidade, começamos um processo de pesquisar a vida dela, ler biografias, livros, entrevistas. E me identifiquei muito mais. Muitas coisas já vivi, relacionamentos, desilusões, medos... me senti muito próxima do ser humano Adele.

Foi assustador de certa forma, eu não esperava tais semelhanças. Entender que atrás de todo artista existe uma pessoa, cheia de batalhas internas, me fez entender que somos todos nesse mundo ligados de certa forma.

Entre as canções, qual foi a mais desafiadora?

Eu amo todas. Durante o processo de ensaio, me apaixonei por “Skyfall”, mas com “Turning Tables” tenho uma ligação pessoal. A tradução me liga muito a um momento que já vivi, em que tive que deixar meu coração de lado e abrir mão de algo tóxico para resgatar a pessoa que eu era.

Qual o momento mais emocionante no espetáculo?

Quando canto “Rolling in the Deep”, o público levanta, dança e canta o refrão com toda energia. Fora do palco acontecem coisas inusitadas também e muito gratificantes. No último show, um pai me pediu pra cantar “Someone Like You” para sua filha, após o show. Quando terminei, ele estava chorando, emocionado. Sei que esse momento estará na memória dessa família para sempre.

Sua vida mudou após esse espetáculo?

Sim. Aprendi a cuidar melhor da minha mente e simplesmente entregar nas mãos de Deus o controle das coisas. Sempre fui muito ansiosa. Aprendi a não atropelar cada etapa da vida.

Serviço

Hello Adele Tribute

O quê: Tributo à cantora Adele, reproduzindo o show do DVD “Live at the Royal Albert Hall” (2011), com a artista franco-brasileira Stephanie Lii

Quando: Sábado (15), às 22h. Abertura dos portões às 21h

Onde: Espaço Patrick Ribeiro, no novo Aeroporto de Vitória, na Mata da Praia

Ingressos (meia): Pista a R$ 57,50, Cadeira Prata a R$ 80,00 e Cadeira Ouro a R$ 90,00. Mesa (cadeira individual/único): Bronze a R$ 175,00, Prata a R$ 200,00 e Ouro a R$ 230,00.

Venda: Metal Nobre (Grande Vitória), Espaço Patrick Ribeiro e Cafeteria e Choperia do Mestre (Novo Aeroporto de Vitória) e site www.eventbrite.com.br

Clas.: 16 anos. Menor só com os pais ou responsável legal

Inf.: 99242-6062

Apoio: Rede Tribuna


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados