Acredite no seu sonho

Navegando pela internet, há pouco mais de um mês, eu me deparei com o comentário de uma mãe, num post do Luccas Neto. Ela dizia o seguinte: “Minha filha está doida para te conhecer, você vem a Vitória (ES) no dia do aniversário dela... você foi o companheiro dela enquanto ela estava internada... ela te ama muito...”. E o improvável aconteceu. Ele respondeu que a sua produção entraria em contato com ela para que esse sonho se tornasse realidade.

E foi assim que eu conheci (virtualmente) a Rafaela Dutra e de lá para cá, venho acompanhando a sua ansiedade para a chegada do grande dia. E esse dia chegou. Ontem (25/11), enfim, a pequena Alice, que completou quatro anos, conheceu seu ídolo. Mas antes de contar a emoção deste momento, quero voltar no tempo e compartilhar com vocês a história de vida desta pequena grande sonhadora, que com tão pouca idade, já tem muito a nos ensinar.

Há pouco mais de dois anos Alice começou a ficar doente. Era uma criança saudável até então, mas passou a apresentar infecções e febres de repetição que não passavam com os antibióticos. Foram muitos exames e tratamentos e nada das taxas melhorarem. E no dia 14/11/2016 ela piorou e foi internada.

“Eu estava muito angustiada, perguntando sempre aos médicos o que poderia ser. Meu coração de mãe indicava que era algo grave. Eles disseram que a Alice estava com anemia muito forte, queda das plaquetas e com a imunidade muito baixa e deveria ficar no quarto para evitar contaminação. E também que iria precisar fazer uma transfusão de sangue”, conta Rafaela.

A mãe tinha planejado o aniversário da menina para o outro dia, 15/11/16, para aproveitar o feriado e a vinda da família do interior, mas infelizmente a festa teve que ser cancelada.

No dia 22/11/16 Alice fez um exame chamado Mielograma e, logo em seguida, as médicas se reuniram com a família para contar que já era possível constatar através da lâmina que ela tinha Leucemia Linfoide Aguda. “Nesta hora eu perdi meu chão, parecia que eu estava em um pesadelo, (até hoje tenho essa impressão) questionei a Deus, mas percebi que não precisava de chão, eu precisava de Deus”, conta a mãe.

O resultado do laboratório confirmando e definindo o rumo do tratamento da Alice saiu em 25/11/16, dia do seu aniversário de dois anos. Rafaela relembra até hoje as palavras da filha, que mesmo sem entender o que estava realmente acontecendo, olhou para ela e disse: “mamãe, não desiste, não desanima”. E essa foi a motivação que nunca deixou a família perder a fé para enfrentar um tratamento tão sofrido, longo e intenso.

Alice perdeu seus lindos cabelos, teve seu corpo e seu rosto transformados pelos medicamentos, mas nunca perdeu sua doçura, sua alegria e sua fé. Por conta dessa força que vinha da menina, a família realizou o seu aniversário dentro do hospital, com a autorização da equipe médica, que permitiu a entrada de 10 familiares. “Foi um momento de agradecer a Deus, celebrar a vida e pedir a cura”, conta Rafaela.

Durante o longo período de internação, a pequena fazia tudo o que podia para se distrair. Cantava, circulava pelo hospital com sua capa de “Super Alice”, presente da enfermeira que a acompanhou durante todo o processo, e assistia muitos vídeos no YouTube. Foi assim que ela encontrou o Felipe Neto e depois o seu irmão. “Ela adorava assistir os dois, se divertia pra valer. Dizia que era amiga do Luccas e que um dia iria conhece-lo e levaria um pote de Nutella de presente”, conta a mãe.

Alice não sabia, mas estava prevendo o futuro. Ontem, dia 25/11/18, ela enfim teve o seu sonho realizado. Dançou, cantou, vibrou e se emocionou ao lado de sua família, assistindo aquele que a ajudou a manter o seu sorriso no rosto ao longo desses dois anos, mesmo nos momentos mais difíceis.

E a pequena ainda pôde ir ao camarim abraçar forte o seu ídolo e mostrar para todos nós que um dos maiores sucessos do Luccas faz todo sentido. A letra diz assim: “Acredite nos seus sonhos, porque com força de vontade, você pode chegar, onde você quiser, você pode chegar, onde você quiser”. A Alice chegou na cura e, você, aonde quer chegar? Até a próxima!