Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

A lamúria portenha
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


A lamúria portenha

Sergio Levinsky é um jornalista argentino, sociólogo, com 10 Copas do Mundo no currículo a trabalho para a crônica do país e também para outros veículos da Europa. Figura divertidíssima, um poço de cultura esportiva, sujeito daqueles que arrebata logo no primeiro contato. Exatamente como aconteceu comigo há 30 anos, mais precisamente na cobertura da Copa América de 1989 disputada aqui no Brasil.

Dito isso, vocês hão de imaginar como estava a sala de imprensa do Maracanã ontem, véspera do confronto entre Argentina e Venezuela pelas quartas de final de mais uma edição do torneio. Todos querendo saber de Levinsky o que se passa com a seleção do país, que desde 1993 não conquista um só título com seu time principal. Mesmo tendo o melhor jogador do mundo há mais de 10 anos.

“Somos uma máquina de perder oportunidades”, diz o cronista.

“Disputamos oito Mundiais com Messi e Maradona e só ganhamos um. E sete edições da Copa América sem ganhar nenhuma. Um desastre!”, resume, pouco confiante com o sucesso da equipe de Lionel Scaloni nesta que é a quinta participação de Messi no torneio desde 2007 — Maradona jogou as edições de 1979, 1987 e 1989.

Mas se tem alguém que escapa do crivo de Levinsky, este é Lionel Messi, que chega aos 32 anos carregando nas costas os erros e o jejum do futebol argentino.

Para o jornalista, o mau momento da seleção que fez a final da Copa de 2014, contra a Alemanha, no Maracanã, se deve à má gestão de Claudio Tapia, substituto do Julio Grondona na presidência. Nos últimos cinco anos, a Associação de Futebol da Argentina (AFA) perdeu força, prestígio e dinheiro.

E o sinal mais evidente é visto na oportunidade dada a Lionel Scaloni, o terceiro na comissão de Jorge Sampaoli. Uma escolha que se deu por exclusão, ao final das especulações em torno de nomes conhecidos.

Mauricio Pochettino nem sequer avaliou a possibilidade de deixar o milionário Tottenham. E Diego Simeone, do Atlético de Madrid, avisou antes mesmo que o procurassem da sua intenção de trabalhar em clubes até 2022.

Até mesmo Marcelo Gallardo, que faz carreira vitoriosa no River Plate, já manifestou o desejo de seguir os passos de outros treinadores do país em gramados europeus.

Levinsky diz que a falta de um diretor esportivo atuante minou o trabalho de Sampaoli no Mundial da Rússia e que, hoje, a seleção do país é um coletivo desgovernado.

“Em 1995, uma seleção argentina só com jogadores do Distrito de Santa Fé venceu a Venezuela por 11 a 0. Nos últimos três jogos, não vencemos um...”, lamentou.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Mais uma de Jorge Jesus

O técnico Jorge Jesus recomendou ao Flamengo a contratação de outro espanhol: o atacante Carlos Fernández, de 23 anos e 1,85m de altura, com direitos econômicos presos ao Sevilla, mas que foi …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões: o mau uso do árbitro de vídeo

Na medida em que a tabela da Série A do Brasileiro ganha um contorno mais expressivo, o mau uso do árbitro de vídeo começa a chamar atenção. Era sabido que haveria equívocos e injustiça nessa fase de …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

É treta...

A ausência de Romário foi a mais sentida na confraternização promovida pela CBF na Granja Comary, em Teresópolis, em comemoração dos 25 anos da conquista do tetra mundial. O evento reuniu ex-jogadore…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O mistério de Pablo Marí

Há mesmo algo estranho nessa contratação do zagueiro espanhol Pablo Marí, de 25 anos, que o Flamengo anuncia como “reforço” para o elenco de Jorge Jesus. O jogador de 1,93m tem histórico medíocre e …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Jesus na Arena

Jorge Jesus estreia nesta quarta-feira (10) no comando técnico do Flamengo e, tão difícil quanto esse confronto com o Athletico/PR, na Arena da Baixada, pelas quartas de final da Copa do Brasil, …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões: Copa América

A conquista da Copa América devolve um pouco da autoestima e tira um sobrepeso das costas do novo presidente da CBF, Rogério Caboclo. Mas a dúvida agora é saber se a Seleção seguirá nas mãos de Tite …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Um Peru da América

É impossível crer que a CBF já não tenha um plano estratégico alternativo para a disputa da Copa América de 2020, a quarta nos últimos cinco anos. Mas, se não tiver, deixo desde já um conselho para …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A Copa Europa

A qualidade dos jogos da Copa América reforça a tese que venho defendendo por aqui a respeito do aproveitamento nas seleções sul-americanas dos jogadores que cumprem o calendário europeu. …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Fla oferece R$ 44 milhões a Pedro

A diretoria do Flamengo repete com o centroavante Pedro, de 22 anos, autor de 19 gols em 40 jogos do Fluminense em 2018, a estratégia adotada para contratar o uruguaio De Arrascaeta e o atacante …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A falta do protagonista

Repetirei aqui o que escrevi logo após a classificação da Seleção Brasileira, na última quinta-feira (27), em Porto Alegre. O time teve 17 finalizações no segundo tempo, contra duas da seleção …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados