search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

A importante cera do ouvido
Doutor João Responde

A importante cera do ouvido

“Fazer cera” significa demorar de forma proposital para realizar alguma coisa que já poderia ter sido feita. Talvez por isso, a palavra “sincera” significa “sem cera”. Todavia, em se tratando do ouvido, essa expressão carece de sentido. Ao realizar o sistemático trabalho de produzir cerume, o corpo está colaborando com a saúde auditiva.

A natureza é surpreendente. Cada coisa, por mais simples que pareça, tem um trabalho importante para o funcionamento de algo maior. Costumamos julgar o cerume do ouvido como banal, mas ele tem importância vital para o corpo.

A cera é uma secreção fabricada pelas glândulas situadas na porção mais externa do conduto auditivo e tem a função primordial de proteção.

Além de proteger a tênue mucosa do canal auditivo de infecções, ela evita que poeira e outras pequenas partículas possam avançar para dentro do canal auditivo e atingir o tímpano.

No entanto, caso ocorra em excesso, prejudica a função auricular e, se for mal manipulada, ela pode entupir o canal auditivo e pressionar o tímpano, gerando consequências.

Em algumas situações, não conseguimos encontrar nenhuma razão clara para a ocorrência da produção aumentada de cera no ouvido.

Algumas pessoas simplesmente produzem mais cerume do que o ouvido é capaz de eliminar.

O envelhecimento pode facilitar o processo de acúmulo de cera no ouvido, porque os idosos geralmente produzem um cerume mais duro e menos lubrificante, que provoca uma redução na capacidade de expulsá-lo.

Alterações anatômicas do ouvido podem favorecer o acúmulo de cera em seu interior.

Em certas condições, uma produção excessiva de cera por distúrbios das glândulas da pele pode formar tampões que obstruem o canal auditivo.

Alguns indivíduos costumam remover a cera de ouvido por acreditar que ela seja nojenta ou desnecessária ao corpo.

Ao contrário do que muitos pensam, quando usamos os cotonetes para limpar os ouvidos, empurramos parte da cera para dentro canal auditivo.

Compactado, esse cerume pode formar uma rolha que obstrui a passagem de som, provocando algum grau de surdez.

É importante ressaltar que qualquer limpeza especial deve ser realizada pelo médico, lembrando que a pele do canal auditivo e a membrana do tímpano são muito delgadas e podem ser lesionadas facilmente.

Por isso, abandone o hábito de cutucar o ouvido com hastes flexíveis, grampos, palitos, tampas de caneta, etc.

Meu professor de Otorrinolaringologia costumava dizer que, para limpar o ouvido, devemos introduzir o cotovelo de um lado, no ouvido localizado no outro lado, ou seja, é impossível!

O cerume é produzido por glândulas que se encontram dentro do canal auditivo, estando presente em todas as pessoas. Ele serve como uma proteção natural.

Entretanto, quando é produzida em maior quantidade, a cera pode causar alguns sintomas, como dor, prurido, sensação de entupimento e diminuição da audição.

De maneira fisiológica, o cerume é importante para a saúde do ouvido, pois serve de proteção contra traumas, ressecamento e microrganismos. Além disso, ele é impermeável à água e contém anticorpos.

O ouvido é autolimpante. As suas células se renovam, fazendo com que a cera seja naturalmente empurrada para fora do canal auditivo.

Muitos acreditam que a existência de fragmentos de cerume do lado de fora do ouvido seja um sinal de excesso de cera. Na verdade, isso é apenas um processo natural de limpeza.

Caso seja necessário, a cera pode ser removida através de medicamentos, irrigação ou remoção mecânica, lembrando que tais procedimentos não devem praticados em casa.

O ouvido, assim como a abelha, quando não está fazendo cera, está voando com os sons.
 

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Doutor João Responde

Uso de corticoide em Covid-19

Descobriu-se, recentemente, que o esteroide dexametasona diminui a nefasta reação do sistema imunológico contra o coronavírus, aumentando a chance de sobrevivência do paciente grave. Denominada …


Exclusivo
Doutor João Responde

O asfixiante coronavírus

Flutuando no ar, esse invisível inimigo se espalha por meio de gotículas transmitidas ao ar pela respiração, principalmente quando ocorrem espirros e tosse. Estando presentes ao redor, indivíduos …


Exclusivo
Doutor João Responde

Higienização com álcool em gel

Qual a diferença entre desinfetante, antisséptico e esterilizante? Desinfetar é destruir aquilo que causa infecção. Antissepsia é limpar algo contaminado. Esterilizar se refere a um processo de …


Exclusivo
Doutor João Responde

Em busca da vacina milagrosa

Vivendo entre o sonho e a realidade, ninguém é imune à sentença do tempo. A ansiedade é inimiga mortal da nossa paz. A paz é amiga vital da nossa saúde. Estamos atravessando um período dramático…


Exclusivo
Doutor João Responde

Complicações contra a Covid-19

Indagados por não estarem usando máscaras, muitas pessoas afirmam que são resistentes à Covid-19. Esta declaração categórica é bastante perigosa, uma vez que, diante da pandemia, ninguém pode dispor …


Exclusivo
Doutor João Responde

Baço, um órgão pouco lembrado

A designação desse órgão abdominal originou-se pelo fato dele ser embaçado, não se deixando ser atravessado pela luz. O baço sempre constituiu um desafio à curiosidade dos investigadores que …


Exclusivo
Doutor João Responde

Nossa memória imunológica

Quase ninguém se recorda da última vez em que ficou doente por conta de uma infecção microbiana, mas o sistema imune lembra bem desse momento da vida, assim como de vários outros anteriores. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Esses malditos vírus

Nada garante a saúde permanente do ser humano. Por mais que a vida seja protegida, nada assegura a manutenção da tranquilidade do amanhã. Por esse motivo, a ciência toma conclusões como verdades …


Exclusivo
Doutor João Responde

Maconha não é droga inofensiva

Quando aquele jovem apareceu no consultório, eu já sabia boa parte da história que ele iria me contar. Preocupada, sua mãe havia ligado antes, me passando algumas informações a seu respeito. …


Exclusivo
Doutor João Responde

Minha vesícula encheu de pedras

Semanas após ter sido encaminhada para extrair a vesícula biliar, a paciente retornou ao meu consultório. Satisfeita, ela afirmou: “Minha cirurgia foi um sucesso, doutor”. Nada lembrava a …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados