Luiz Mantovani


A fragilidade do esquema de Barbieri

 Barbieri não consegue explicar a inoperância do ataque do Flamengo. (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)
Barbieri não consegue explicar a inoperância do ataque do Flamengo. (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

A torcida do Flamengo não deve se iludir à espera de mudanças na forma de o time jogar. O próprio Barbieri deixou claro em sua entrevista, após o empate contra o Corinthians, que não sabe o que fazer. Enrolou-se nas respostas e mostrou-se, em alguns momentos, estar convicto do acerto de seu esquema tático.

A responsabilidade pela falta de gols é atribuída, por torcedores e parte da mídia, ao mau rendimento dos três centro-avantes (Uribe, Dourado e Linconl). Mas não é bem assim. A bola simplesmente não chega para os caras concluírem as jogadas.

Uribe não recebeu um passe em condições de chutar a gol. Conseguiu, aos trancos e barrancos, cabecear duas bolas lançadas na área. O popular "chuveirinho" rolou solto no ataque, sinal da fragilidade do esquema adotado por Barbieri.

Os jogadores ficam o maior tempo com a bola, sem saber o que fazer. Aí, é um festival de troca de passes laterais. Não há jogadas verticais, em busca de conclusões ao gol. Ninguém pode dizer que Diego não se esforça. Roda para cá, para lá, mas nada em profundidade. Uma autêntica enceradeira.

No jogo diante do Corinthians, além do já manjado e fracassado esquema de Barbieri, o mau desempenho individual de jogadores dos quais se espera muito mais contribuiu decisivamente para o time esbarrar na retranca paulista. Paquetá repetiu suas fracas atuações e Vitinho foi inoperante.

Fala-se muito na queda do Flamengo depois da Copa. Está na cara o motivo: a ausência de Vinicius Júnior, que desequilibrava os jogos com seus dribles. Hoje, o Flamengo não tem quem o faça e abra a defesa adversária.

Se Barbieri não tem ideia de mudanças táticas, pelo menos, então, poderia trocar suas peças. Agora que Arão dá mostras de estar jogando razoavelmente, por que não colocá-lo ao lado de Cuellar e adiantar Paquetá como falso centro-avante? Não pode é continuar do jeito que está, acreditando que dará certo, enquanto o time vai sendo eliminado das competições.