search
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

A falta do algo mais...
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


A falta do algo mais...

De todas as críticas a Rogério Ceni que li e ouvi nas 24 horas que sucederam a derrota de 2 a 1 para o Fluminense no Fla-Flu da última quarta-feira, no Maracanã, a que mais me pareceu sensata fazia uma indagação básica: o que mudou no Flamengo com a troca de Domènec Torrent para o ex-técnico do Fortaleza?

O time não produz espetáculos, tem média de gols sofridos superior a um por jogo, e o aproveitamento sob o comando do novo treinador é pior do que o registrado pelo espanhol ao final de 24 jogos disputados, em três meses de trabalho.

De fato, os números do Flamengo de Rogério Ceni nestes primeiros onze jogos à frente do time estão aquém do que se supunha à época de sua contratação: quatro vitórias (36%), com quatro empates (36%) e três derrotas (27%).

Números, aliás, que potencializam a frustração dos torcedores por embutirem as eliminações nas Copas do Brasil e Libertadores.

Nos últimos onze sob o comando do espanhol que tinha a credencial de auxiliar de Pep Guardiola, o Flamengo havia vencido sete confrontos, empatado dois e perdido outros dois.

Goleadas
O problema é que as duas derrotas no espaço de sete dias foram as acachapantes goleadas para o São Paulo (4 a 1), no Maracanã, e para o Atlético/MG (4 a 0), no Mineirão – resultados que fizeram o time despencar da liderança, então dividida com o Internacional, para o quarto lugar.

A ideia de que o ambiente não era bom porque os jogadores não conseguiam entender as ideias táticas do treinador minaram por completo as convicções da já dividida cúpula do futebol rubro-negro e a interrupção após cem dias de trabalho agradou a torcida, mas não resolveu nada.

Domènec, que nas onze primeiras partidas no comando do time teve cinco vitórias, dois empates e quatro derrotas, deixou o Flamengo com um aproveitamento de 58%, com 14 vitórias, quatro empates e seis derrotas.

Ou seja: em termos percentuais, o time perdia menos com ele do que com Rogério Ceni - 25% contra 27%.
E, leve-se em consideração, atravessando momento delicadíssimo, com a contaminação em massa dos jogadores pela Covid-19, lesões musculares, convocações à seleção brasileira e série de quatro jogos em uma semana.

Não acho que os torcedores tenham agora que lamentar a troca ou desacreditar que o trabalho de Rogério Ceni possa levar o time ao título. Mas já é hora de aceitar que não é só questão de comando. É preciso o algo mais de quem está em campo...

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora
esqueceu a senha?

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas Impressões...

A temporada de 2020 ainda não terminou para Grêmio e Palmeiras que ontem fizeram a primeira das duas partidas que apontarão o campeão da Copa do Brasil. Mas a temporada 2021 já começou em vários …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O comando...

Rogério Ceni ficará no Flamengo para mais uma temporada de vitórias. E não sei porque ainda levantam suspeitas sobre seu futuro no clube. Afinal, antes mesmo da conquista do bicampeonato …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Octa danado

A conquista do oitavo título Brasileiro do Flamengo não deve ser analisada de forma isolada, com base no desempenho do time na derrota de 2 a 1 para o São Paulo, no Morumbi. Tampouco com o rali …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Fica a dica

Levou pouco mais de 20 anos para a CBF, criada em 1980, assumir, em definitivo, que o futebol brasileiro devesse ter um campeonato nacional por pontos corridos, reunindo apenas 20 clubes e procurando …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

É plenamente compreensível a euforia dos torcedores do Flamengo com a vitória que coloca o time na liderança da Série A do Brasileiro a uma rodada do término. O oitavo título depende de uma …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

DNA de vencedor...

O saldo do Flamengo é dos mais positivos – à altura do elenco montado com o investimento inicial superior a R$ 200 milhões. E essa balança favorável entre expectativa e realidade é o que faz do time …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Sem saída...

Dissidências políticas, conluios para o esvaziamento da diretoria administrativa, discussão sobre o processo eleitoral, torcedores se enfrentando nas redes sociais na defesa dos cartolas de estimação…


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Aspirante tricolor...

A campanha do Fluminense no Brasileirão, disputando com São Paulo e Atlético/MG uma vaga no G-4, consolida a filosofia do seu departamento de futebol, que sofreu com os impactos financeiros trazidos …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões...

Faz tempo que alerto aqui para a necessidade de a CBF “ajustar” os parâmetros no relacionamento entre árbitros e clubes para, no mínimo, mitigar os possíveis problemas (perfeitamente compreensíveis) …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Concentração e reza forte...

O Flamengo foi o único dos 20 clubes da Série A que somou dez pontos nas últimas quatro rodadas do Brasileiro. E essa arrancada iniciada com a maratona de jogos fora do Rio de Janeiro indica que …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados