A barragem em Brumadinho e a responsabilidade trabalhista

Estarrecidos, tristes e inconformados com mais um rompimento de barragem (Brumadinho-MG) e todos seus efeitos daninhos sobre a vida das pessoas e o meio ambiente, muitos esclarecimentos devem ser feitos. Um deles é a relação entre esse trágico acontecimento e o Direito do Trabalho. Os empregados, inclusive os dos prestadores de serviços, que, no exercício do trabalho e em razão do rompimento da barragem, sofreram lesão corporal ou perturbação funcional cujo resultado foi a morte ou a perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho, foram vítimas de acidentes do trabalho (Lei 8.213/91, art. 19).

Os empregadores, portanto, deverão emitir comunicações de acidente do trabalho (CATs). Os empregadores serão responsáveis por reparar danos morais, estéticos e materiais. Os empregados poderão cumular os três pedidos.

A responsabilidade dos empregadores caracteriza-se independentemente de culpa em virtude da atividade empresarial de risco (Código Civil, art. 927, parágrafo único). Esses casos serão de competência da Justiça do Trabalho.

A quantificação do dano moral encontrará um desafio posto pela Reforma Trabalhista: o 223-G, §1º, I a IV, da CLT limita o valor da reparação. O maior percentual seria a ofensa de natureza gravíssima cuja quantia seria de cinquenta vezes o último salário percebido.

Uma das soluções seria a declaração de inconstitucionalidade do dispositivo. Essa decisão poderia ser proferida, em cada caso, pelo Juiz do Trabalho, o que lhe permitiria fixar o dano moral em patamar superior.

O dano material compreenderá: direitos trabalhistas adquiridos (férias e 1/3, 13º salário, saldo salarial etc.); pagamento das despesas com tratamento da vítima, seu funeral e luto da família; prestação de alimentos às pessoas a quem o morto os devia; lucros cessantes até ao fim da convalescença; pensão correspondente à importância do trabalho para que se inabilitou, ou da depreciação que ele sofreu; além de algum outro prejuízo que o trabalhador ofendido comprove haver sofrido (Código Civil, arts. 948 a 950).

O Ministério Púbico do Trabalho (MPT) possui atribuição para instaurar inquérito civil, cujo objeto será a investigação desses acidentes e da higidez do meio ambiente de trabalho do responsável pela barragem.

Esse procedimento extrajudicial poderá oportunizar a propositura de ação(ões) coletiva(s), a celebração de termo(s) de ajustamento de conduta(s) (TACs) e a condenação dos responsáveis ao pagamento de dano moral coletivo (cuja destinação poderá ser direcionada a fundos e/ou para patrocinar projetos volvidos à coletividade direta ou indiretamente afetada) e ao cumprimento de obrigações de fazer e não fazer (sobretudo nos temas de direito ambiental do trabalho).

Os efeitos do rompimento da barragem em Brumadinho, portanto, além das implicações penais, ambientais, administrativas e civis, em grande parte, serão regulados pelo Direito do Trabalho.

Bruno Gomes Borges da Fonseca é procurador do Trabalho na 17ª Região. Professor de Direito do Trabalho e pós-doutorando


últimas dessa coluna


A influência das mídias sociais sobre as decisões políticas

Estamos observando, no Brasil e em outras partes do mundo, o povo se reunindo através das redes digitais com o objetivo de influenciar as decisões políticas. Será que as principais decisões serão …


O Moscoso não morreu e nem morrerá por causa da violência

O fato ocorrido no dia 15 de janeiro, quando três vidas foram ceifadas de forma brutal, na divisa do bairro Piedade, mesmo em se tratando de um ato isolado, nos causou indignação. Mas foi inaceitável …


A lei e a quebra de contrato na compra de imóveis na planta

Quase no apagar das luzes do ano de 2018, na última sexta-feira, dia 28 de dezembro, foi publicada a Lei Federal nº 13.786, que visa regulamentar a resolução por inadimplemento de contratos de …


Telemedicina traz ganhos, mas não é remédio para todos os males

A divulgação da Resolução nº 2.227/18, do Conselho Federal de Medicina (CFM), que estabelece critérios para prática da telemedicina no Brasil, provocou um grande debate sobre o tema, durante o qual …


Será um desserviço ao País desmantelar aquilo que dá certo

Atualmente, o sistema cooperativista tem sido bastante evidenciado pelo seu constante crescimento e pela sua participação no combate à exclusão social, valorizando o homem pelo que ele é, tornando-o …


A importância do planejamento para se saber aonde quer chegar

Ao receber a resposta de Alice, que diz não saber para onde quer ir, uma vez que estaria perdida, o Gato é enfático: “Para quem não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”. O trecho da história …


Ferida emocional e baixa fé religiosa põem vidas em risco

Revista de circulação nacional diz que acontece um suicídio no mundo a cada 40 segundos. No Brasil, a cada 45 minutos. E em Vitória? Não sabemos, pois a mídia, com a sábia intenção de não incentivar, …


Pacote anticrime de Moro é bom, mas peca em alguns pontos

O ministro Sérgio Moro divulgou as primeiras medidas concebidas para o enfrentamento da criminalidade. Sob o impacto inicial das soluções apontadas, várias análises foram feitas logo após sua …


É direito de alunos terem acesso às informações de seus cursos

Há quase quatro anos, A Tribuna publicou neste mesmo espaço um artigo em que eu falava sobre o Exame de Ordem e o direito à informação. Citei o Projeto de Lei 214/2015, proposto pelo então deputado …


Tecnologia nos distancia do amor e nos aproxima da violência

Celular… Essa maquininha veio com a promessa de aproximar as pessoas, mas está fazendo exatamente o contrário. Cada dia aumenta mais a distância entre os corações humanos. É na convivência com as …