25º Festival de Cinema de Vitória exibe mais de 80 filmes nesta semana


Teatro Carlos Gomes vai receber mostras, sessões especiais e homenagens) (Foto: Tati Hauer)
Teatro Carlos Gomes vai receber mostras, sessões especiais e homenagens) (Foto: Tati Hauer)
O maior evento de cinema do Espírito Santo está se aproximando. De 3 a 8 de setembro, o 25º Festival de Cinema de Vitória movimenta a capital capixaba com sessões gratuitas de filmes, homenagens, atrações musicais, oficinas, lançamentos de livros e debates sobre o audiovisual.

Totalizando mais de 26 horas de exibição ao longo dos seis dias de evento, o FCV conta com 89 filmes, nos gêneros ficção, documentário e animação, em curta e longa-metragem, dispostos em 11 mostras competitivas e 4 sessões especiais (fora de competição). A estimativa de público é de 30 mil pessoas (confira a programação completa no fim da matéria).

Nesta edição, as atividades do festival se dividem em três espaços da Grande Vitória: Teatro Carlos Gomes, no Centro de Vitória, onde ocorrem as mostras, as sessões especiais e as homenagens; a Universidade Vila Velha (UVV), com oficinas na parte da manhã e no início da tarde; e o Hotel Senac Ilha do Boi, que recebe debates com os realizadores.

 Rita Cadillac será a apresentadora do primeiro dia do festival (Foto: Divulgação)
Rita Cadillac será a apresentadora do primeiro dia do festival (Foto: Divulgação)
Quem dá as boas-vindas aos cinéfilos é a atriz, cantora e dançarina Rita Cadillac apresentadora do primeiro dia do festival. Ela divide a função com o ator e músico Zéu Britto, que retorna ao palco do Teatro Carlos Gomes nesta primeira noite. Tema do documentário “Rita Cadillac: A Lady do Povo” (2010, Toni Venturi), Rita estreou no teatro em maio deste ano ao interpretar a dançarina capixaba que dá nome à peça “Luz del Fuego”, codinome de Dora Vivacqua (1917-1967), em cartaz em São Paulo.

E tem mais: atrações musicais animam o Lounge do Festival, anexo ao Teatro Carlos Gomes. Um dos nomes confirmados é o da dupla Chico Chico - filho da cantora Cássia Eller - e João Mantuano. Com influências das mais diversas dentro da música brasileira, os músicos preparam um repertório intimista que vai do rock ao frevo, do blues, forró, samba e folk ao baião. A dupla toca na noite de abertura (3 de setembro), a partir das 22h.

A cantora Zezé Motta é a atração da sexta-feira (7) (Foto: Divulgação)
A cantora Zezé Motta é a atração da sexta-feira (7) (Foto: Divulgação)
Já na sexta-feira (7 de setembro), a partir das 22h, o Lounge é palco da atriz e cantora Zezé Motta. Homenageada pelo FCV no ano passado, ela retorna ao festival com o pocket show “Atendendo a Pedidos”, em que revisita seus 40 anos de carreira nos palcos, cantando clássicos da música brasileira como “Trocando em Miúdos” (Chico Buarque e Francis Hime) e “Pecado Original” (Caetano Veloso).

Outra atração é o coletivo BatuQdellas, que anima o ambiente após as exibições da 3ª Mostra Mulheres no Cinema, a partir das 16h30, também na sexta-feira. Melanina MCs, DJs Murilo Caldas, Rafa Cisne e Ursula Pussynail, as bandas Tuyo e Xá da Índia e a própria Rita Cadillac, apresentadora do primeiro dia de FCV, também estão programadas para o Lounge.

O espaço também abriga o lançamento de quatro livros, no sábado (8 de setembro), às 17h30: “Os Incontestáveis”, de Saulo Ribeiro, “temporária”, de Aline Prúcoli, “O Breviário do Silêncio”, de Anaximandro Amorim, “Memórias das Ruínas de Creta”, e “Reis de Paus”, de Luiz Carlos Lacerda.

Homenagens

Claudio Tovar, homenageado capixaba (Foto: Divulgação)
Claudio Tovar, homenageado capixaba (Foto: Divulgação)
Três personalidades do cinema e das artes recebem homenagens do FCV por suas trajetórias. Na noite de abertura (3 de setembro), quem recebe o abraço do público é o artista capixaba Cláudio Tovar, premiado sobretudo como cenógrafo e figurinista, e que deu vida recentemente aos personagens Evandro, da novela “Êta Mundo Bom”, e Pedro Agostini de “O Mecanismo”, série da Netflix.

Na quarta-feira (5 de setembro), o cineasta Neville D’Almeida tem sua carreira no cinema festejada no Carlos Gomes. Sua história de 50 anos no audiovisual é tema do documentário “Neville D’Almeida - Cronista da Beleza e do Caos”, de Mario Abbade, exibido em sessão especial na noite de homenagem.

Grande homenageado desta edição, o produtor Luiz Carlos Barreto, o Barretão, sobe ao palco do Carlos Gomes na quinta-feira (6 de setembro), para celebrar sua enorme contribuição ao cinema nacional. Nome importante do Cinema Novo, Barretão dirigiu as fotografias de “Vidas Secas” (1963, Nelson Pereira dos Santos) e “Terra em Transe” (1967, Glauber Rocha), do qual também foi produtor. Barretão também participa de uma coletiva de imprensa no Hotel Senac Ilha do Boi, na quinta-feira (6 de setembro), às 15h.

Mostras

O Vale Encantado (Foto: Divulgação)
O Vale Encantado (Foto: Divulgação)
Neste ano, o Festival de Cinema de Vitória conta com as seguintes mostras: 8ª Mostra Competitiva Nacional de Longas-Metragens; 22ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas-Metragens; 8ª Mostra Quatro Estações, com obras que abordam a diversidade sexual; 7ª Mostra Foco Capixaba, reunindo a produção local recente; 7ª Mostra Corsária, que reúne experimentações com linguagens e estéticas; 3ª Mostra Mulheres no Cinema, dedicada exclusivamente ao trabalho de realizadoras; 3ª Mostra Cinema e Negritude, com filmes que valorizam a narrativa e a memória da cultura negra; 2ª Mostra Nacional de

Videoclipes; 1ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental - Sessão Especial Petrobras, janela que estreia para dar visibilidade às discussões sobre sustentabilidade; e o 19º Festivalzinho de Cinema, voltado para o público infanto-juvenil.

De volta para o passado (Foto: Divulgação)
De volta para o passado (Foto: Divulgação)
Os filmes selecionados para as mostras competitivas concorrem ao Troféu Vitória em diversas categorias e também a prêmios especiais dos parceiros do FCV. Os vencedores serão conhecidos na noite de encerramento do festival, no dia 8 de setembro, no Teatro Carlos Gomes.

Sessão de encerramento

A Mata Negra (Foto: Divulgação)
A Mata Negra (Foto: Divulgação)
Além da sessão especial com o documentário sobre Neville D’Almeida, o 25º FCV exibe dois filmes fora de competição em uma sessão de encerramento. Premiados em festivais nacionais e internacionais, os curtas-metragens “Boca de Fogo”, de Luciano Pérez Fernández, e “ Nova Iorque”, de Léo Tabosa, chegam ao Teatro Carlos Gomes na última noite do evento, dia 8 de setembro.

“Boca de Fogo” é o apelido de Didi, narrador e comentarista de um jogo de futebol da Série C do Campeonato Brasileiro, no sertão de Pernambuco. A partir de suas impressões, captamos as emoções da partida que decide a sorte do time local, ameaçado de rebaixamento.

Já “”, de Léo Tabosa, também filmado no sertão de Pernambuco, tem a atriz Hermila Guedes no centro da narrativa. Ela interpreta uma professora em busca do sonho de ser atriz. Após 15 anos de tentativas e fracassos, ela volta ao sertão para cuidar de sua mãe doente. Quando estreita os laços com seu aluno Leandro a partir de uma caixa de música, ela volta a vislumbrar a possibilidade de realizar seu sonho.

Oficinas

O festival ainda investe nas ações de formação, com cursos ministrados por importantes nomes do cenário audiovisual nacional. Para a 25ª edição, são ofertadas sete oficinas, que contemplam todas as etapas de produção cinematográfica, desde a elaboração e gestão de um projeto até a crítica cinematográfica.

Três delas são inéditas na programação do festival: Atuação cinematográfica, com Anselmo Vasconcellos; Montagem, com Eva Randolph; e Elaboração e Gestão de Projetos Culturais, com Simone Marçal e Daniel Morelo. Ministradas por profissionais reconhecidos no cenário local e nacional, somam-se ainda as oficinas de: Realização em Cinema e Vídeo, com Luiz Carlos Lacerda; Animação, com Otto Guerra; Roteiro, com José Roberto Torero; e Crítica

Cinematográfica, com André Dib. As oficinas acontecem na Universidade Vila Velha (UVV), no campus Boa Vista, entre o dia 03 e 06 de setembro, durante o Festival.

Uma realização da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA), o 25ºFestival de Cinema de Vitória conta com o patrocínio do Ministério da Cultura, através da Lei de Incentivo à Cultura, da Petrobras, do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), do Banco Regional de Desenvolvimento (BRDE), do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), da Ancine, e do Governo Federal, com Apoio da Rede Gazeta, da Prefeitura Municipal de

Vitória, e da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo. O Festival conta também com Apoio Institucional do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), do Canal Brasil, da Arcelor Mittal, da Link Digital, da Mistika, da Cia Rio, da UVV e da Marlim Azul Turismo. O lounge do Festival é co-realizado pela Galpão Produções e pela Molaa.

Confira a programação completa clicando aqui

Serviço:
25º Festival de Cinema de Vitória 
Quando:
de 3 a 8 de setembro
Onde: Teatro Carlos Gomes (mostras, sessões especiais e homenagens), UVV (oficinas) e Hotel Senac Ilha do Boi (debates e coletiva de imprensa)
Instagram: @festivaldecinemadevitoria