Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Só mudam de endereço
Martha Medeiros
Martha Medeiros

Martha Medeiros


Só mudam de endereço

Eu o conheci, era um garoto francês que viveu dois anos na Austrália, depois trabalhou nas ilhas da Polinésia e então resolveu dar uma passada em sua antiga casa, em Brive-la-Gaillarde, onde sua mãe mora até hoje. Ela quase caiu pra trás quando abriu a porta e deparou com aquele magricela barbudo, parecendo Robinson Crusoe e que continuava com a mania de surgir sem avisar. O guri deu um beijo nela, dormiu em sua velha cama, matou saudade do bouillabaisse, deu outro beijo na mãe e partiu. Hoje mora no Peru e continua em trânsito, sem data para enraizar.

Com uma garota baiana se deu de outro jeito. Ela foi para os Estados Unidos a fim de estudar seis meses, o que sua mãe considerou um exagero de tempo, mas não era: quanto tempo dura, hoje, seis meses? Uns 30 minutos. A garota acreditava mesmo que num piscar de olhos estaria de volta, mas conheceu um texano e se apaixonou por ele. Avisou a mãe que daria uma esticada de mais 30 minutos na terra do Tio Sam e a mãe só não infartou porque adoecer custa caro – preferiu juntar dinheiro para comprar uma passagem e fazer um enxoval pra menina, era dessas.

O texano casou com a garota baiana em Austin, diante da sogra, que entregou os lençóis e as toalhas bordadas antes de retornar para sua Cachoeira, no Recôncavo, onde aprendeu a usar o Skype.

Sei de uma mãe que teve três filhos homens e cada um deles mora num lugar mais absurdo que o outro. O primogênito no Azerbaijão, o do meio no interior da Tailândia e o caçula em Windhoek, na Namíbia, África. Só pode ser implicância deles, ela resmunga. Por que tão longe? A família se reúne todos os anos em janeiro, em Porto Alegre, que é quando os garotos conseguem se desvencilhar de suas atividades. A mãe adorava ir pra Santa Catarina, mas agora ficam todos fritando juntos no verão da capital gaúcha porque, além de visitar a matriarca, eles querem também rever os amigos e matar saudade do churrasco.

Poderia continuar, houvesse mais espaço, mas tenho certeza que você conhece histórias melhores, talvez até uma em que você, mãe abnegada, seja a protagonista. Seu filho estará com você neste domingo ou mora em Goiânia com a mulher e um bebê cujo crescimento você acompanha por whatsApp? Sua filha estará com você ou fazendo curso de gastronomia no Pará? Seu primogênito deixou o interior para ir pra cidade? Sua princesa foi fazer teatro em Nova Iorque?

A maioria das mães de adolescentes e de jovens adultos, às quais me incluo, tem ao menos um filho em algum lugar do Brasil ou do mundo, de mochila nas costas, hospedado em hostel, alugando um quarto na casa de alguém ou casado com um estrangeiro, fazendo a vida lá fora. Meu beijo solidário. Não há outro jeito a não ser aceitar a inversão do ditado – filho é tudo igual, só muda de endereço.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Martha Medeiros

Saber viver

Realizei um desejo antigo, o de passar um mês inteiro num apartamento em Paris, fingindo ser moradora da cidade. Paris é mágica: quanto mais tempo se permanece nela, mais linda ela se revela, cinco …


Exclusivo
Martha Medeiros

Depois que ela se vai

Oba, amanhã é dia de faxina! Esse é o comentário entusiasmado de quem deixou 17 copos sujos na pia, de quem não se deu o trabalho de desvirar o vaso de terra que foi derrubado pelo gato no tapete da …


Exclusivo
Martha Medeiros

Defeitos aceitáveis

Se você tem mais de dois anos de idade, sabe que ninguém é perfeito, nem mesmo papai e mamãe. E se tem de 15 para cima, está aprendendo a se adequar ao que o mercado afetivo oferece: pessoas …


Exclusivo
Martha Medeiros

Dar-se o luxo

Há quem celebre o aniversário do cãozinho com um garden party para 300 convidados, quem contrate meia dúzia de duplas sertanejas para cantar na formatura do caçula, quem encomende três vestidos de …


Exclusivo
Martha Medeiros

Ligados

Lembro como sofri quando, uns cinco anos atrás, as lâmpadas incandescentes começaram a ser retiradas do mercado a fim de dar lugar às fluorescentes, mais compatíveis com o projeto de eficiência …


Exclusivo
Martha Medeiros

Ler por quê?

Recentemente lancei uma coletânea de crônicas e acabei participando de alguns eventos literários. Nessas ocasiões, costumo ser questionada sobre a importância da literatura. Nenhuma novidade: ler é …


Exclusivo
Martha Medeiros

Todos no mesmo barco

Avião. Ônibus. Carro. Qual o melhor meio de viajar? Todos, mas nunca considerei fazer um cruzeiro, até que recebi um convite sedutor. Seriam quatro dias navegando pelo rio Negro num tour literário. …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados