Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Polícia pede prorrogação de prazo em investigação de tablet no caso Neymar

Notícias

Polícia

Polícia pede prorrogação de prazo em investigação de tablet no caso Neymar


A Polícia Civil pediu nesta quarta-feira (10) a prorrogação do prazo de investigação do suposto arrombamento ao apartamento em que Najila Trindade morava em São Paulo. O período inicial de 30 dias para os trabalhos terminou sem uma conclusão e isso motivou o pedido à Justiça para estender o tempo do inquérito. O caso é importante porque tem relação com a acusação de estupro feita pela modelo contra o atacante Neymar.

Foi durante o arrombamento que Najila afirma ter ocorrido o furto do tablet que continha imagens feitas no quarto em que ela se encontrou com o jogador em Paris. A gravação seria do segundo encontro com o atacante e provariam o crime sexual, de acordo com a versão da modelo.

As investigações do sumiço começaram em 6 de junho, dia seguinte à suposta invasão ao apartamento - imóvel que ela deixou em 1º de julho. O inquérito foi conduzido na 11ª Delegacia, o prazo para apuração era de um mês e venceu no sábado, o que fez a data mudar para o primeiro dia útil seguinte. Como foi feriadão em São Paulo, o pedido da Polícia Civil foi feito somente nesta quarta.

Agora, o Ministério Público será chamado a se manifestar e, então, o juiz decidirá se acata o pedido ou sugere arquivamento da apuração. A investigação do arrombamento segue em sigilo porque tem relação com a acusação de estupro. Por este motivo, o resultado de uma perícia para descobrir se a porta do imóvel foi forçada não foi revelado.

A Polícia Civil insiste na busca pelo tablet porque as imagens podem definir o rumo da investigação, caso contenham uma prova contundente. O vídeo original estaria em um celular que Najila perdeu no dia de seu primeiro depoimento - 7 de junho.

O inquérito que apura estupro corre na 6º Delegacia de Defesa da Mulher e também aguarda resposta da Justiça a um pedido de prorrogação de prazo. A solicitação de mais tempo foi necessária porque a Polícia Civil aguarda o resultado de perícias e das imagens do circuito do hotel onde teria ocorrido o crime sexual e que foram apreendidas pela polícia judiciária de Paris.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados