Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Polícia afirma que advogado e estudante faziam racha na Terceira Ponte

Notícias

Polícia

Polícia afirma que advogado e estudante faziam racha na Terceira Ponte


Oswaldo Venturini Neto e Ivomar Rodrigues Gomes Junior foram presos logo após o acidente (Foto: Reprodução / TV Tribuna/SBT)
Oswaldo Venturini Neto e Ivomar Rodrigues Gomes Junior foram presos logo após o acidente (Foto: Reprodução / TV Tribuna/SBT)

A Polícia Civil concluiu que o advogado Ivomar Rodrigues Gomes Junior, de 34 anos, e o estudante de engenharia Oswaldo Venturini Neto, de 22 anos, disputavam um "racha" na Terceira Ponte momentos antes de atingir uma motocicleta, na madrugada desta quarta-feira (22). Neste acidente, morreram o motoboy Kelvin Gonçalves dos Santos, de 23 anos, e a namorada dele Brunielly Oliveira, de 17 anos.

Segundo o delegado Ney Fanfa, imagens das câmeras de uma boate mostraram os dois motoristas ingerindo bebidas alcoólicas, horas antes de provocar o acidente. Eles chegaram ao estabelecimento por volta das 22 horas de terça-feira (21), consumiram cerveja e uísque e saíram do local à 1h10 de quarta-feira.

As informações foram extraídas da comanda de consumo dos dois suspeitos. A polícia, no entanto, não divulgou a quantidade comprada pelos suspeitos, bem como a quantidade consumida por cada um.

Exatos 16 minutos após deixar a boate - que também não teve o nome divulgado -, o acidente foi registrado no vão central da Terceira Ponte.

"Os depoimentos dados nesta manhã, por testemunhas oculares do acidente, afirmaram que os dois veículos estavam em uma disputa por racha. A confirmação, no entanto, vai ser feita após uma perícia nos carros", explicou o delegado.

Os dois acusados foram indiciados por embriaguez e homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. Eles deixaram o DPJ de Vitória na tarde desta quarta para o Departamento Médico Legal, onde fizeram exame de corpo de delito. Dali, eles foram transferidos para o Centro de Triagem de Viana, onde permanecerão presos.


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados