Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Cartão de visitas
Painel da Folha de São Paulo

Cartão de visitas

Indicado por Jair Bolsonaro para assumir a PGR, Augusto Aras se submeteu nesta terça (10) a uma espécie de prévia da sabatina no Senado. No gabinete da presidência da Casa, respondeu a perguntas de cerca de 18 senadores, de várias siglas.

Ele exaltou resultados da Lava Jato, mas disse que a operação não pode se perder em "vaidades pessoais". Questionado se atuaria com independência em relação ao governo e ao presidente, respondeu: "Jamais tive medo de cumprir minhas funções".

Para frente que se anda - O escolhido de Bolsonaro fez questão de mostrar aos senadores a face que parece ter conquistado o presidente da República: afirmou que o Ministério Público não pode dizer apenas "não", barrando projetos importantes para o país. Segundo ele, o órgão deve também indicar caminhos para destravar ações.

Fica a dica - Num segundo recado à Lava Jato, Aras condenou medidas que levem empresas flagradas em irregularidades à falência. Defendeu ofensiva sobre dirigentes e acionistas, mas a preservação das atividades, cuja interrupção só levaria à perda de empregos.

Vinde a mim - Aras foi ao Senado acompanhado do assessor parlamentar da PGR, mas entrou para a reunião no gabinete do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), sozinho. Foi do democrata o convite para que ele falasse aos líderes.

Só ouço falar - O indicado de Bolsonaro rebateu ilações de proximidade com petistas –e foi auxiliado por Jaques Wagner (PT-BA). Disse que esteve com o senador baiano três ou quatro vezes, contando encontros casuais em aeroportos. Wagner confirmou. Afirmou que nunca foi à casa de Aras e que não são amigos.

Bola de segurança - O pedido de vista no processo que Renan Calheiros (MDB-AL) move contra Deltan Dallagnol no Conselho Nacional do Ministério Público foi estratégico. Os conselheiros querem esperar a nomeação de Luciano Nunes Maia para levar o caso adiante.

Bola de segurança 2 - A chegada de Maia deve abrir caminho ao terceiro procedimento contra o coordenador da Lava Jato.

A bola é tua - O senador José Serra (PSDB-SP) deve presidir a comissão que vai analisar a transferência do Coaf para o Banco Central. A relatoria deve ficar com o deputado Reinhold Stephanes (PSD-SC).

Palavra dada - Os sinais de que uma proposta de recriação de imposto nos moldes da extinta CPMF enfrentaria forte resistência em diversos setores se avolumaram nesta semana. Líderes do centrão avaliam que não há clima para, depois de o próprio Bolsonaro criticar a medida, apoiarem a nova taxa.

Onde pega - O governador do DF, Ibaneis Rocha, que coordena o fórum de governadores, também é contra a proposta. Já a Frente Nacional dos Prefeitos afirma que nova CPMF prejudicaria os mais pobres.

Onde pega 2 - O prefeito de Campinas, Jonas Donizette, que preside a FNP, avalia que ao recriar o tributo, o governo deixaria de promover a simplificação tributária, ideia inicial da reforma. Ele diz ainda que não está claro se os recursos arrecadados com a nova taxa seriam divididos com estados e municípios.

Àlibi - Michel Temer reagiu de maneira inusitada à revelação, na Folha, de que teve diálogos com o ex-presidente Lula gravados pela PF em meio ao impeachment de Dilma Rousseff. "Onde é que está o golpista? Estava ali falando de reatar as relações do governo com o MDB. Cadê?", comentou com pessoas próximas.

Guarda compartilhada - A medida provisória que prevê pensão vitalícia a portadores de microcefalia ressuscitou discussões sobre os modos de Bolsonaro. O deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), que já havia apresentado projeto idêntico, ficou com a pulga atrás do orelha com o discurso do Planalto.

Visitas à Folha - O governador do Pará, Helder Barbalho, visitou a Folha nesta terça-feira (10). Estava acompanhado de Vera Oliveira, secretária de Comunicação. Rui Campos, sócio da livraria Travessa, e Martine Birnbaum, diretora da livraria Travessa de São Paulo, visitaram a Folha nesta terça.

TIROTEIO

"Os Bolsonaro não são apenas uma família desequilibrada. Eles são uma família que desequilibra a República."

Do deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ), após Carlos, o 02, dizer que por vias democráticas as mudanças não virão na velocidade almejada.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Mergulho na realpolitik

O Planalto montou nova estratégia para tentar formalizar uma base na Câmara e no Senado. O general Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e o líder do governo, Major Vitor Hugo (PSL-GO), …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Apenas o começo do fim

A queda de Marcos Cintra está longe de estancar a crise na Receita. Nos últimos dias, quando a permanência do agora ex-secretário da área já estava ameaçada, uma série de denúncias com relatos …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Apenas o começo do fim

A queda de Marcos Cintra está longe de estancar a crise na Receita. Nos últimos dias, quando a permanência do agora ex-secretário da área já estava ameaçada, uma série de denúncias com relatos …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Manda quem pode

Jair Bolsonaro ficou especialmente irritado e mandou demitir Marcos Cintra após a publicação de detalhes da proposta de recriação da CPMF porque viu no vazamento uma desobediência a pedido feito …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Tiro ao alvo

A atuação do chefe da força-tarefa da Lava Jato de Curitiba, Deltan Dallagnol, deve ser alvo de nova discussão no Conselho Nacional do Ministério Público, nesta terça (10). A expectativa no …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Vamos dar as mãos

A exemplo do acordado na Câmara dos Deputados, o governo deverá encaminhar nos próximos dias projeto de lei para a abertura de crédito suplementar de cerca de R$ 4,5 bilhões para irrigar ministérios …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Exército de um homem só

Dois subprocuradores que integravam a lista tríplice rejeitada por Jair Bolsonaro na sucessão da PGR reagiram enfaticamente à indicação de Augusto Aras, que não participou da eleição interna. Na …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Questão de ponto de vista

Muito criticada por setores do Ministério Público Federal e pelos lavajatistas que compõem a base de Jair Bolsonaro, a indicação de Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República foi bem …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Quando a esperteza é demais

A Receita driblou ordem do Tribunal de Contas da União e, alegando seguir recomendação da Procuradoria-Geral da Fazenda, se recusou a enviar à corte os nomes de auditores que acessaram dados fiscais …


Exclusivo
Painel da Folha de São Paulo

Escolha de Sofia

Às vésperas de decidir a amplitude dos vetos que deverá impor ao projeto que pune o abuso de autoridade, Jair Bolsonaro tentou acomodar posições divergentes. O presidente escalou o ministro Jorge …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados