Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.


Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

esqueceu a senha? Assinar agora
Cookies não suportados!

Você está utilizando um navegador muito antigo ou suas configurações não permitem cookies de terceiros.

Há diversas formas de avaliar um treinador
Gilmar Ferreira
Gilmar Ferreira

Gilmar Ferreira


Há diversas formas de avaliar um treinador

Há diversas maneiras de se avaliar o trabalho de um treinador. E tenho absoluta convicção de que, no Brasil, o excesso de competições no calendário apressa o desgaste e a distorção nas análises.

Em nenhum outro país o técnico disputa quatro torneios numa mesma temporada com a obrigação de vencê-los. Ainda que tenha chegado no ano em disputa, e que os números lhe sejam dos mais favoráveis.

E os exemplos de Abel Braga, no Flamengo, e Fernando Diniz, no Fluminense, são perfeitos para a reflexão.

Um põe o time em campo hoje para enfrentar o Corinthians, em São Paulo, sob o olhar desconfiado de parte da torcida contrariada com as trocas de posições promovidas no ataque.

O outro dirige o time num jogo contra o Cruzeiro, no Maracanã, sabendo que o quinto tropeço em seis jogos lhe trará sérios problemas.

As duas partidas são válidas pelas oitavas da Copa do Brasil e a passagem de fase ao final do “playoff” vale não só um bom dinheiro, como mantém o sonho de conquista.

Mas dá para levar a sério o desejo de troca no comando de um time ainda em fase de montagem e que tem saldo positivo?

O Flamengo de Abel conquistou três dos quatro troféus disputados. E tem 16 vitórias e só quatro derrotas nos 26 jogos do ano.

Diniz registra números mais modestos, mas bem favoráveis: venceu 13 e perdeu oito dos 27 em que esteve à frente do time do Fluminense. E o que me diverte é o seguinte: tem gente pedindo a demissão de Abel Braga no Flamengo porque o time não tem um bom padrão de jogo. E no caso do Diniz, a queixa é ao contrário — tipo: de que adianta a boa filosofia de jogo se os resultados não aparecem?

Ora bolas: é resultado ou desempenho?

Em minhas análises, levo em consideração os resultados porque sei que, na última linha, o torcedor olha mesmo é para isso.

E a partir do número de pontos obtidos, passo a olhar o tempo de trabalho e o estilo de jogo empregado de acordo com o que se tem disponível.

Cobro futebol mais imponente do Palmeiras de Felipão do que do Flamengo de Abel Braga. Mais do Grêmio de Renato Gaúcho do que do São Paulo de Cuca. E por aí vou.

Não lembro, confesso, de uma atuação que possa chamar de sensacional do Palmeiras de Felipão, em 2018. Ou do Corinthians de Fábio Carille, em 2017. E até do Palmeiras de Cuca, em 2016.

Mas não esqueço que os três foram campeões. Porque é o que vale.

Conteúdo exclusivo para assinantes!

Assine agora e tenha acesso ao conteúdo exclusivo do Tribuna Online!

Matérias exclusivas, infográficos, colunas especiais e muito mais, produzido especialmente pra quem é assinante.

Apenas R$ 9,90/mês
Assinar agora

últimas dessa coluna


Exclusivo
Gilmar Ferreira

E o Gabriel Barbosa, Tite?

Dos 84 gols marcados pelo Flamengo em 2019, a dupla de atacantes Gabriel Barbosa (24) e Bruno Henrique (18) fez simplesmente a metade: 42. Fora as oito assistências de Bruno Henrique e as seis de …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Maturidade coletiva

Oswaldo de Oliveira, de 68 anos, já teve duas passagens pelo Fluminense, em 2001 e 2006, mas jamais comandou o time tricolor numa edição de Brasileiro por pontos corridos. Seu último trabalho na …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

O Flamengo foi o maior beneficiado da 15ª rodada, combinando a vitória sobre o Vasco, em Brasília, com a derrota do Santos de Sampaoli para o Cruzeiro de Rogério Ceni, em Belo Horizonte, e com o 1 a …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O fair-play financeiro

Um milhão de dólares. Este é o valor que os alemães do Bayern Munique oferecem de salários a Philippe Coutinho, livres de impostos, para um contrato de 12 meses. Para isso, basta que ele e seus …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Mais do mesmo

Tite faz nesta sexta-feira (16) a primeira convocação da Seleção Brasileira após a conquista da Copa América, reunindo 23 jogadores para amistosos contra Colômbia e Peru nos dias 6 e 10 de setembro, …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

A surpresa da vez

Sem opções, diante de importantes desfalques, Eduardo Barroca deverá recorrer a mais um jovem que trabalhou com ele na categoria sub-20 do Botafogo: o volante Rickson, de 21 anos, deverá ocupar a …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O passo certo...

O colombiano Yony González, de 25 anos, chegou ao Fluminense no início do ano como aposta. Apesar das boas atuações pelo Junior Barranqüila, sobretudo na Sul-Americana vencida pelo Athlético/PR, o …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Gabigol e Balotelli

O presidente Rodolfo Landim disse em sua entrevista exclusiva ao canal Fox Sports que as avaliações de compra e venda de jogadores do Flamengo obedecem a critérios prioritariamente mercadológicos. E …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

Minhas impressões

Tão preocupante quanto o número de jogadores que se machucaram em julho, ao longo dos sete jogos em 21 dias, é o fato de que agora em agosto o Flamengo terá de fazer quatro partidas em 11 dias. É …


Exclusivo
Gilmar Ferreira

O carro-chefe da emoção

O futebol, esse esporte da preferência nacional, é tão mágico e sedutor que nem mesmo um possível insucesso no gramado é capaz de desmistificá-lo. Porque sua beleza não está apenas no “perde e ganha” …


Olá, !

Esse é o seu primeiro acesso por aqui, então recomendamos que você altere o seu nome de usuário e senha, para sua maior segurança.



Manter dados